quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

As Aventuras de Merlin

"Em uma terra de mitos, em um tempo de magia, o destino de um grande reino está sob os ombros de um jovem rapaz.. Seu nome é Merlin..."

O assunto de hoje é sobre mais uma série que me deixou viciada (e apaixonada): As Aventuras de Merlin. Sabe quando você está de bobeira olhando os filmes na Netflix e se depara com uma série que você pensa: "ah, vou ver o primeiro episódio só pra ver como é", e no final acaba vendo todas as temporadas? Pois é, foi isso o que aconteceu. Geralmente eu fico caçando séries com temática medieval (já coloquei na minha lista Game Of Thrones - que AINDA não vi - Camelot e The Musketeers), e foi justamente por isso que comecei a assistir essa.


A série conta a história da lenda do Rei Arthur e os Cavaleiros da Távola Redonda de um jeito divertido e descontraído, tendo como personagem principal do enredo o jovem bruxo Merlin.

A trama acontece em Camelot, lar do Rei Uther Pendragon e seu filho e príncipe, Arthur Pendragon. Pelas leis de Camelot e a mando do rei, a magia era proibida e quem a praticasse era condenado à morte. Nesse cenário surge Merlin, recém chegado à cidade convidado pelo médico da Corte, Gaius, para trabalhar no Castelo. Lá, ele se depara com um príncipe egocêntrico, do qual tem a infelicidade de virar servo.

Arthur, o príncipe loiro e metido, mas de coração enorme e boa índole (que a gente descobre ao longo da série) também mora com sua irmã de criação, Lady Morgana, que na primeira temporada convence na bondade. No interior do castelo, aprisionado a pedido de Uther, encontra-se o dragão Kilgharrah, amigo de Merlin, que sempre lhe dá conselhos sobre magia e como deve usá-la. Em Camelot também vive Guinevere, ou Gwen, serva de Morgana e futura rainha e esposa de Arthur.



Guinevere e Arthur
Nessa versão da lenda, Morgana, que descobre ser irmã de sangue de Arthur, se revolta com Uther por proibir magia (ela descobre ser uma bruxa logo nas primeiras temporadas) e se torna uma pessoa amarga e cheia de ódio, tentando a todo custo matar Arthur e se tornar rainha de Camelot. Ela se torna uma grande sacerdotisa e vilã.

Dividida em cinco temporadas, As Aventuras de Merlin diverte e recria todo o ambiente medieval, com direito a batalhas, castelos, seres mitológicos e muita magia. A primeira temporada estreou em 2008 e a última em 2012 (fico me perguntando porque demorei tanto para descobrir), e foi um grande sucesso de público e crítica, tendo fãs fiéis até hoje (como eu).

Merlin
Por que eu viciei na série?

Todo esse universo mitológico/medieval faz parte de mim desde que me conheço por gente. O que me interessou nessa série foi o fato dela retratar uma das versões das lendas arturianas. Como conhecia as histórias superficialmente, juntei o útil ao agradável. Comparado com a série Vikings (que eu também sou apaixonada), os efeitos especiais são bem fracos, mas, pra mim, As Aventuras de Merlin não deixa a desejar no figurino e histórias, que são empolgantes e fazem o espectador ficar grudado no sofá para assistir os capítulos em sequência. Cada episódio é uma história diferente; não é sequencial como Vikings, onde um capítulo continua o outro, mas todos são tão empolgantes quanto. 

Uma das coisas que eu mais gostei  foi o humor ao longo da série. Merlin sempre se atrapalha em suas tarefas, Arthur, que é tão egocêntrico, sempre acaba em situações engraçadas, a expressão de desconfiança (que me faz rir horrores) do Gaius e todo o clima descontraído dos episódios transformam os 40 minutos em cenas leves e gostosas de assistir.

Gaius
O lado cômico também é justamente o maior mago de todos os tempos acabar virando servo do príncipe/futuro rei. Chega a ser uma lição de humildade o jeito como Merlin encara as tarefas e obrigações dentro do castelo. Sua forma atrapalhada de lidar com a magia também é um dos pontos fortes, sempre me fazendo rir. Além disso, ele e Arthur sempre se metem em confusões e acabam se tornando grandes amigos, com uma relação baseada na confiança e confidencialidade. Na série dá pra perceber que Arthur gosta muito de Merlin, mas seu ego enorme sempre impede que ele admita isso.

Outra coisa que eu achei engraçada foi o fato de Arthur nunca admitir que está errado ou algo do tipo. Se não fosse por Merlin, com certeza ele não sobreviveria nem ao primeiro capítulo. Ver, também, ele e Gwen se apaixonando ao longo da série (e se separando também) me fizeram suspirar e torcer pelo casal. Os personagens são tão atrativos que em dois capítulos já é possível se identificar com algum.

A única coisa que eu não gostei muito foi o fato de Morgana usar maquiagem em alguns capítulos. Quem, naquela época, usava maquiagem ou tinha uma aparência extremamente limpa?! A série pecou nisso. Não só ela como todos os personagens aparecem sempre com a imagem 'acabei de tomar banho' e isso transpareceu um pouco a falta de cuidado na adaptação dos personagens para o período em que é contada a história. Talvez os personagens apareçam assim para os capítulos ficarem mais atrativos para o público. Tem gente que gosta e tem gente que não. Eu fico no meio termo.

Lady Morgana
A série não tem aquele ar pesado que poderia ter por conta das batalhas; pelo contrário, a história se torna leve, animada e divertida. Já ouvi muitas críticas justamente por ela não ser tão pesada em termos de cenas eróticas e de batalhas com sangue, como Vikings e Game of Thrones, mas, pra mim, esse foi justamente o diferencial, não é mais do mesmo.

Com fortes referências da cultura e religião celtas, As Aventuras de Merlin apresenta em seus episódios druidas, bardos, bruxas e sacerdotes. Em todo momento, Gaius, o médico da corte e também bruxo, fala sobre a Antiga Religião, citando a Antiga Fé celta. O triskele (símbolo celta que representa a triplicidade Donzela, Mãe e Anciã) também aparece em um dos episódios. Arthur também cita alguns festivais tipicamente celtas (como Beltane) em celebrações dentro do castelo. Para quem conhece os elementos celtas, fica fácil percebê-los em muitos capítulos. Para quem não conhece, passa a aprender o significado deles. O ponto fraco é que muitos elementos que aparecem ao longo da série não são explicados nos capítulos.

 Os cavaleiros (gatos) da Távola Redonda


Ao longo da série, Arthur se vê no poder de nomear alguns homens como Cavaleiros de Camelot. Pelas leis, só se torna Cavaleiro aquele que tem linhagem nobre. Arthur quebra essa regra quando escolhe Gwaine, Lancelot, Elian e Percival. Entre todos os Cavaleiros, o que mais se destaca é Lancelot, talvez por ser o mais famoso entre todas as versões das lendas arturianas.

Os atores eram novos pra mim. Não conhecia nenhum, tampouco tinha visto filmes e/ou séries com eles. Eu gostei da escolha, eles representaram bem o papel; ao mesmo tempo em que são ótimos lutadores e cavaleiros, também fazem rir ao longo da série.  O ator que interpreta Lancelot, Santiago Cabrera, está atualmente em outro seriado, Os Três Mosqueteiros, no papel de Aramis.

Por que você deveria assistir

Recomendo a série para todos aqueles que gostam da temática medieval, seja em roupas, costumes, lugares e paisagens. Se você, assim como eu, também gosta de lendas celtas e arturianas, vai gostar de assistir cada capítulo. Ela diverte ao mesmo tempo em que conta a história; o elenco, ao que me pareceu, foi muito bem escolhido. Para mim, não existe ator melhor para interpretar o mago Merlin como Colin Morgan. Ele deu um ar jovial ao personagem, sem aquela coisa chata e carregada da lenda. Antes de assistir a série, eu imaginava o mago como um velhinho corcunda. Os diretores acertaram em transformar Merlin em um rapaz quase da mesma idade de Arthur, fazendo nascer ali uma grande amizade entre eles (mesmo que Arthur não admita isso).

Se você gosta de cultura celta, então ASSISTA. Alguns personagens citam símbolos e escritas antigas. Além do Ogham (alfabeto celta) também aparecem em alguns escritos e livros de Gaius as runas nórdicas, em uma mescla das culturas celta e escandinava.

Pode ser que a série não empolgue logo no primeiro capítulo. Eu precisei assistir a alguns para ter certeza de que valeria a pena investir meu tempo sentada no sofá vendo a trama, então, se você vai começar a assistir, veja pelo menos uns três capítulos em sequência. Tenho certeza que os próximos te deixarão com vontade de assistir a todas as temporadas de uma vez!

                  

As Aventuras de Merlin foi transmitida na Inglaterra pela BBC e aqui no Brasil pela HBO Family e Sony Spin. Por ser antiga, está disponível na Netflix e, claro, para download na internet. Em alguns sites é possível comprar a primeira temporada. Eu, como boa fã, já comprei e tô caçando as outras, mas até agora não achei para vender, talvez porque a série é um pouco antiga.

Abaixo, o trailer da primeira temporada e mais um vídeo que eu achei no youtube que mostra cenas engraçadas entre Arthur (Bradley James) e Merlin (Colin Morgan):



2 comentários:

  1. Ótimo post, fiquei bem interessada em assistir As Aventuras de Merlin. E menina, como assim você ainda não viu Game Of Thrones? Corre lá, porque você vai amar e viciar nessa série também.

    Adorei o tema do seu blog, estou acompanhando pelo facebook - aguardando novas dicas. rs

    Sucesso! Abraço!

    P.s: Gostaria de pedir sua opinião sobre motivos para assistir a série Vikings em um post lá no meu blog http://moniquesgoulart.wordpress.com (pois como você mencionou a série não pude deixar de ficar curiosa)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Monique :D

      Assista Merlin, você vai AMAR <3
      E sobre Game of Thrones, tô pra assistir ainda, quero ver mês que vem sem falta!!!

      Fico feliz que você tenha curtido o blog, divulga também, para que mais pessoas leiam o que eu escrevo :)

      Ah, vou ler sim a postagem sobre os Vikings e comento lá. Vou dar uma olhada nas suas postagens também.

      Beijooo

      Excluir