quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Lughnasadh: o festival pagão para agradecer nossas "colheitas"

Hoje a postagem vai ser sobre o sabbat Lughnasadh, conhecido também como Lammas, onde os praticantes da Antiga Religião celta e vertentes (como a Wicca), comemoram o chamado "Festival da primeira colheita". Esse sabbat é comemorado pela Roda Sul no dia 02 de fevereiro e no dia 01 de Agosto na Roda Norte.




Lughnasadh é um tempo de alegria e festividades, onde os antigos celtas comemoravam a primeira colheita e agradeciam aos deuses pela fartura. É bom lembrar que antigamente não existia tanta comida industrializada e muito menos mercado, então a sobrevivência deles dependia também de uma boa colheita nessa época do ano, motivo pelo qual eles pediam bênçãos aos deuses e agradeciam com esse sabbat. Neste dia o deus do Sol Lugh era homenageado.


É um momento onde devemos agradecer por nossas "colheitas": um emprego novo, um bem material que você queria, saúde, prosperidade, etc. Nós temos o costume de pedir demais e agradecer de menos. Nesse sabbat aprendemos a ser gratos por tudo o que temos e que ainda teremos, mas para isso temos que plantar (se você quer algo, corra atrás), para só então colhermos. Essa é minha reflexão nesse período. O paganismo, como uma religião de equilíbrio, nos ensina muitas coisas. É também uma época de agradecer as coisas ruins, pois tudo o que acontece em nossas vidas é para nossa evolução e crescimento espiritual. 

Origens e costumes de Lughnasadh

O nome "Lughnasadh" deriva-se de uma festa agrícola típica celta, dedicada ao deus celta do Sol, fogo, luz e colheitas, Lugh, que foi um grande guerreiro. Seu nome significa "Luz" - belo como o Sol. É o Deus dos ferreiros e das muitas habilidades. Ele também foi o rei dos Tuatha de Danann (vou fazer uma postagem detalhada sobre) e consorte da deusa Dana, primeira grande mãe da Irlanda. Por conta disso, Dana também é honrada nesse sabbat.

Lugh, o deus celta do Sol

Lughnasadh significa literalmente "festa" ou "festival de Lugh", onde também se comemoravam os jogos funerais que Lugh criou para honrar a morte de sua mãe, Tailtu. Por conta disso, esse sabbat também é conhecido na Irlanda como Tailtu Games.

Esse sabbat também é chamado de Lammas, que significa "massa de pão", pois nessa data era costume fazer pães com os primeiros grãos de trigo colhidos, bem como bonecos de palha representando os deuses, que eram chamados "Senhor e Senhora do Milho". Os bonecos então permaneciam nas casas durante um ano, onde eram queimados no ano seguinte, no mesmo festival, e os pães eram distribuídos. Junto com os bonecos queimavam-se pedidos de agradecimento aos deuses. Usavam-se também máscaras e peles de animais nessas celebrações. Nessa data era costume também que os celtas queimassem a melhor safra da primeira colheita para garantir que as próximas fossem abençoadas e fartas. 

Lammas é um dos quatro grandes sabbats, juntamente com Imbolc (início da Primavera), Beltane (início do Verão) e Samhain (noite dos antepassados e Ano Novo Celta).

Entre os bruxos modernos é costume confeccionar bonecas recheadas com milho ou grãos e deixar no altar representando a Deusa Mãe, queimando no próximo Lammas.

No mais, esse sabbat é um tempo de gratidão por tudo o que temos e pelo que ainda estará por vir. Pra mim, a palavra principal é agradecimento.



 Celebrando Lughnasadh

Existem várias formas de se comemorar esse Sabbat, mas em geral os instrumentos rituais e a temática é a mesma. Deixo aqui um ritual simples para a celebração desse Solstício, retirado do livro "Wicca #4- Rituais" de Eddie Van Feu:

Materiais necessários:

* 2 velas amarelas
*Incenso
* Feixes de trigo, cevada ou aveia
* Frutas
* Pães
* Bonequinhas de milho para representar a Deusa (opcional)
* Um pão na forma do Sol (redondo) para representar o Deus (opcional)

Arrume o altar ou um ambiente que se sinta confortável (eu nunca faço no meu altar porque não tem espaço), acendas as  velas e o incenso e abra o círculo do poder (ou circule o local com sal grosso - eu faço assim). Peça permissão aos deuses para começar seus trabalhos de magia. Erga os feixes de trigo e diga: 

"É este o momento da primeira colheita!
Que a Deusa me ensine a renascer!
Que o Deus me ensine a compreensão deste sacrifício!
A natureza se abre em fartura para nós" 

Esfregue os feixes de trigo com as mãos para que as sementes caiam. Pegue uma fruta e morda-a.

"Eu partilho da primeira colheita
E peço aos deuses que eu possa colher sempre
O fruto do meu trabalho
As sementes das minhas ideias,
O retorno dos meus esforços!
Eu agradeço pela fertilidade da Terra!"

Coma o restante da fruta. Pode realizar operações mágicas agora, se assim desejar. Celebre o banquete e desfaça o círculo (comidas com grãos são bem vindas ao final do ritual).

O banquete de Lammas pede pratos com trigo, milho e aveia. Pães diversos e bolos também são tradicionais, assim como amoras pretas e frutas silvestres. Todos os grãos e frutos maduros que se encontrem na região podem ser usados tanto simples como em tortas. O vinho pode ser substituído por cidra. O pão na forma de Sol representando o Deus deve ser consumido durante o banquete. 




Blessed Lammas!!

 
Bibliografia consultada:
Wicca – A religião da Deusa, Claudiney Prieto, editora Alfabeto, 2012
Série Wicca - Rituais, edição n° 04, Eddie Van Feu, Editora Escala, 2002.

Nenhum comentário:

Postar um comentário