sábado, 22 de fevereiro de 2014

Paul is Dead - A lenda da morte de Paul McCartney

Hoje tive um tempo livre e pensei em escrever sobre mensagens subliminares, mais especificamente sobre a suposta morte do beatle Paul McCartney. Sim, segundo a lenda, Paul morreu e foi substituído por um sósia no auge da fama.

Acho que muita gente já ouviu falar dessa teoria da conspiração que, na época, fez com que os Beatles se tornassem ainda mais famosos e vendessem ainda mais. A teoria surgiu depois que fãs notaram supostas mensagens subliminares nas capas dos LP's lançados após 1966, ano da morte de Paul, e fez com que milhares de pessoas passassem a investigar o ocorrido.

A suposta "morte"

A lenda da morte de Paul McCartney consiste basicamente em boatos de que o integrante dos Beatles teria morrido em um acidente às 5 horas da manhã de uma quarta feira, 9 de novembro de 1966, sofrendo um esmagamento craniano e/ou ter sido decapitado ao colidir com outro veículo por não ter observado o sinal do cruzamento fechar, conforme teria sido contado posteriormente na música A Day in the Life: “ele estourou sua mente em um carro...não percebeu que o sinal havia mudado”, ainda teria perdido seu rosto e seus dentes, por isso não teria sido possível a identificação do cadáver, e teria sido substituído por um sósia.
Os boatos começaram em 1966, após o lançamento do álbum Revolver, quando os Beatles pararam de excursionar devido a dificuldade de tocar ao vivo os arranjos cada vez mais complexos e inusitados de suas músicas aliado a um acidente de motocicleta, sem maiores consequências, sofrido por Paul McCartney.

Para que o grupo não se desfizesse, uma vez que estava no auge do sucesso, a gravadora providenciou imediatamente alguém para substituí-lo, William Campbell, músico, que havia ganhado há pouco tempo um concurso de sósias. A verdade é que o rapaz nunca mais foi visto em sua cidade depois disso. John Lennon, que jamais aceitara a ideia da farsa, começou a espalhar dicas ou pistas subliminares para os fãs do grupo sobre a morte do parceiro nas famosas capas e nas letras dos álbuns da banda.



As Pistas da Morte de Paul McCartney



"Revolver"

- Na gravura da capa há uma mão aberta sobre a cabeça de Paul. Uma mão aberta sobre a cabeça é uma maneira de abençoar as pessoas que morrem;
- Ao invés de uma foto dos Beatles foi feito um desenho para evitar que o sósia fosse desmascarado pela foto;
- A música Taxman seria na realidade sobre um Taxidermista, pessoa responsável por empalhar animais mortos. Na letra há referências ao acidente de Paul ("se você dirige um carro") e ao fato de Paul estar morto ("se você ficar frio"). A melhor pista é "meu conselho para aqueles que morrem, um taxidermista" (para que o morto continue parecendo vivo);
- Na letra de She Said She Said:  "ela disse que eu sabia como é estar morto";
- Dr. Robert teria sido o médico responsável por tentar salvar Paul. Na letra consta "você é um homem novo e melhor" se referindo ao novo Paul.  "Dr. Robert fez tudo o que pode fazer" se refere ao fato de Dr Robert ter feito todo o possível para tentar salvar Paul.



"Rubber Soul"

- Os Beatles na foto da capa olham para baixo como se observassem uma sepultura, a sepultura de Paul McCartney;
- A fotografia da capa foi distorcida para que não se notasse que Paul havia sido substituído;
- A letra de I'm Looking through You diz: "Você não parece diferente mas você mudou, eu olho através de você, você não é mais o mesmo", se refere obviamente a Paul ter sido substituído por um sósia e não ser mais a mesma pessoa. "A única diferença é você estar embaixo" se refere ao fato de o verdadeiro Paul estar em uma sepultura;
-A letra de In My Life diz: "Alguns estão mortos e alguns estão vivos”, e é uma referência aos Beatles não estarem mais juntos.



"Yellow Submarine"

- Na capa aparece novamente uma mão aberta sobre a cabeça de Paul;

- O submarino na capa se assemelha a um caixão enterrado sobre a montanha (esse é meio nada a ver).


"Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band" 


Todo o conjunto de elementos desta capa estariam retratando uma espécie de funeral (o de Paul) com todas aquelas pessoas olhando.


Um dos arranjos de flores forma o desenho de um baixo Hofner semelhante ao que Paul tocava, inclusive virado para a direita visto Paul ser canhoto, isto indicaria que é Paul o cadáver que acabou de ser sepultado. O baixo tem apenas três cordas ao invés de quatro, uma referência aos Beatles sem o seu quarto companheiro.

Outro arranjo onde aparentemente está escrito Beatles na realidade deve ser lido como "Be At Leso" ou "Fique em Leso". Paul teria sido enterrado na ilha de Leso (pesquisei e não achei essa ilha em nenhum lugar!!)


Sobre a cabeça de Paul há uma mão aberta. Uma mão aberta sobre a cabeça é uma maneira de abençoar as pessoas que morrem.


Uma boneca da gravura da capa segura um carro de brinquedo. O carro seria do mesmo modelo do em que Paul haveria morrido.

Embaixo do T de Beatles na capa há uma pequena estatueta de Shiva, Deus Hindú da destruição e renovação. A estátua aponta para Paul.


Na foto da contracapa todos os beatles olham para a frente, com exceção de Paul. Em uma foto do encarte Paul tem no braço uma insígnia onde está escrito OPD que no Canadá é sigla para "Officially Pronounced Dead" ou "Oficialmente Considerado Morto".
         








Colocando-se um espelho no meio do bumbo, cortando a frase “Lonely Hearts”, tem-se a combinação da parte de cima das letras com o seu reflexo a frase ONE HE DIE ou ainda, lendo a frase como está escrita, seria I ONE IX HE^DIE, cujo significado surge das seguintes conexões: “I ONE” seria onze, “IX” seria nove em algarismo romano, e “HE^DIE” indica que Paul está morto. Forma então, a data de 09 de novembro, data da morte de Paul.




"Magical Mystery Tour"

No final da música Strawberry Fields Forever se ouve ao fundo John Lennon dizer “eu enterrei Paul”. Outro fato estranho você observa nesta foto do encarte, onde Paul é o único dos quatro Beatles que está com um cravo preto na lapela do paletó, enquanto os outros estão com cravos vermelhos.








Se você olhar a capa do disco em um espelho as estrelas onde está escrito BEATLES formam um número de telefone, 2317438.

Quando se ligava para este número na época em que o disco foi lançado se ouvia a mensagem "você está chegando perto”. Na realidade se tratava de uma menina bem humorada que havia aderido à brincadeira sobre a morte de Paul. Na capa deste álbum Paul estaria vestido de morsa, um símbolo da morte em algumas culturas. Existem dúvidas sobre quem realmente está vestido de morsa na capa do álbum, pois não há como afirmar que seja, de fato, Paul.

Mais tarde, no Álbum Branco, Lennon em sua música Glass Onion fala: “e aqui outra pista para vocês todos… a morsa era Paul”. No clipe de George Harrison da música When We Was Fab, canção nostálgica sobre os tempos de Beatles, Ringo Starr participa em vários instantes e, em determinado momento aparecem, George c/ a guitarra, Ringo na bateria… e a Morsa tocando seu baixo Hofner!


Ouvindo I Am The Walrus (lembre-se que Paul é a morsa da capa) surge a mensagem “ oh morte prematura”. A frase aparece sem a necessidade de inversão da música junta com muitas outras ao final da música, incluindo: “enterrar meu corpo” e "o que, ele está morto?". Lennon as utilizou na edição com propósito desconhecido…
Na foto central do encarte, na pele da bateria de Ringo está escrito "Love 3 Beatles" lembrando que eles são apenas 3.





"White Album"

Este álbum duplo marca o início da separação do grupo. Como o nome do álbum diz, sua capa e contracapa são totalmente brancas, porém, o encarte traz imagens muito enigmáticas. No meio de um emaranhado de imagens fragmentadas e “aparentemente” sem nexo: uma foto de Billy Shears, apelido que os integrantes dos Beatles deram a William Campbell, o sósia de Paul. Também tem uma foto com uma cabeça para fora da banheira, dando impressão de decapitação.






Este álbum também contém também algumas mensagens audíveis. No final da música I’m so Tired existem murmúrios que soam como “Paul está morto”, “Sinto sua falta”.



"Abbey Road"


Alguns estudiosos constatam diferenças nas músicas compostas por Paul, antes e depois de 1966.


Um carro parece vir em direção a Paul. Ou, como os ingleses dirigem na mão esquerda, parece que o carro já atingiu Paul e segue em frente. No outro lado, entre John e Ringo, um carro de polícia está parado. Parece estar atendendo a alguma ocorrência, como um acidente de trânsito.


Pés descalços: Paul é o único beatle de pés descalços. Há um costume de ingleses serem enterrados de pés descalços. Detalhe: seus olhos também estão fechados. Talvez uma das maiores ‘pistas’ deixadas na capa é Paul segurando o cigarro na mão direita, uma vez que era canhoto.



A placa de um fusca que aparece à esquerda traz a inscrição LMW 28IF. O LMW poderia significar a abreviação de "Linda McCartney Weeps" (Linda McCartney Chora) ou "Linda McCartney Widow" (Linda McCartney Viúva). O 28IF seria "28 years IF alive", o mesmo que 28 anos SE vivo, se referindo à idade de Paul à época do disco, se não tivesse morrido. Paul, na verdade, tinha 27. Mas, era o dito, em religiões indígenas a idade de uma pessoa é contada a partir da gestação. Então ela já tem 9 meses quando nasce. Logo, Paul teria 28 anos.



Na época nenhum corpo totalmente carbonizado (o que explicaria o fato de não se poder identificar o corpo) foi encontrado, nenhuma ocorrência policial ou relato de autópsia de um fato tão incomum foi relatado, além de não haver nenhuma testemunha do acidente.

Pois é... fica no ar essa teoria se Paul realmente está morto ou não..Bom, acho meio difícil arrumarem um sósia com a mesma voz do Paul; ou muita gente enxergou demais ou eles sabiam dessa teoria maluca e aproveitaram pra vender mais.

Jogada de marketing ou a história realmente é verdade?

Um comentário: